Patetas Blog

Cultura Automotiva, Estilo de Vida e Opinião

Author: Esgalha

Pinças e Pastilhas de Freio: Localização

Por acaso você já se perguntou por que o conjunto de pinça e pastilhas de freio ficam, na maioria das vezes no mesmo lugar? E no projeto do seu carango, já pensou em refazer o sistema de freio e se questionou onde eles ficam melhor?

Não? Então dá o play aí em baixo e entenda os motivos:

O vídeo está em inglês, mas é fácil de entender. Em resumo, existem 6 motivos — mais ou menos em ordem de importância são eles: Distribuição de peso, Aerodinâmica, Formato da suspensão, Propósito do veículo, Custo, e Aparência.

E aí, o que acharam do vídeo?

Salão Internacional do Automóvel 2014

Se você não foi, ainda dá tempo: a edição deste ano do Salão do Automóvel vai até o dia 9 de novembro – também conhecido como este final de semana.

Este ano, o evento está melhor organizado, mas o grande avanço foi a interatividade das marcas com o público — cada um dos estandes tentou cativar o visitante com atividades e brindes, para que se passe mais tempo na sua área. Ponto pras grandes marcas no mercado brasileiro que fizeram isso muito bem.

Alguns dos destaques do Salão 2014 são a Ford com novos Ka, Ka+, Edge, Mustang e inclusive com um exemplar antigo do Mustang, que está completando 50 anos:

image

A Honda, que além do novo Civic SI agora na versão coupé, e do HR-V (a.k.a. Vezel), trouxe um conceito do saudoso NSX:

image

Mesmo nos estandes que não são de montadoras, é possível encontrar Ferraris, Hot e Rat Rods, um Batmóvel, e até um DeLorean no melhor estilo Back to the Future:

image

Na área externa do Salão, há test drives para fazer. A dica é visitar o salão antes, ver qual test drive quer realizar, e se informar na marca como fazer. Não perca o test drive da Jeep, feita num campo para demonstrar a capacidade offroad dos carros, guiado por um piloto, sempre em reduzida — tem até uma rampa com 35° de inclinação:

image

Se você já foi nas edições anteriores, já sabe e, se nunca foi, se prepare para andar bastante e principalmente aguentar a superlotação — a não ser que você queira ver o Toyota Etios, era o único do evento que estava vazio:

image

No estande da Toyota, estavam todos vendo o conceito FT-1, materializado do Gran Turismo. Marcas como Renault, BMW, Audi, Fiat, Citroën, Peugeot, Mini e diversas outras marcaram presença com lançamentos e carros conceito — dá até pra esquecer a ausência da Lamborghini e Ferrari… Ahn, você ficou sabendo que este Salão do Automóvel teve até manifestação?

Interessou? Os ingressos podem ser adquiridos pela internet na Tickets For Fun, nos postos autorizados (normalmente nas livrarias Saraiva) ou, como de costume, diretamente no local. Não recomendamos comprar de cambistas que abordam no estacionamento. E por falar em estacionamento, o oficial do evento cobra salgados 40 reais — junte uma galera para rachar o valor, ou utilize o transporte gratuito oferecido pelo evento a partir da estação Tietê da linha azul do metrô.

Se você já foi, ou pretende visitar neste último final de semana, comenta com a gente e compartilhe suas fotos!

Novo Ford Ka… E o que você ganha com isso?

O novo Ford Ka acabou de sair do forno, e não vou aqui fazer uma avaliação sobre ele – para isso, diversos sites, revistas e fóruns já começaram a fazer, e em breve teremos uma infinidade de comparativos.

image

Novo Ka, agora com inspiração (bem de longe) com a frente de Aston Martin

Minha proposta aqui é diferente e, quem sabe, um pouco mais complexa que isso: o que você, comprador, ganha com isso?

Mas antes, vou jogar aqui alguns números do mercado automotivo atual:
• Mais de 50 lançamentos esperados para 2014.
• Desses, 24 foram lançados no primeiro semestre.
• 2013 foi um pouco mais aquecido, e tivemos mais de 60 carros lançados, entre novos e face-lifts.
• Apesar da queda de 7,3% em relação ao mesmo período de 2013, até junho de 2014 tivemos 1.582.634 veículos leves emplacados, segundo a Fenabrave.

1.582.634. Um milhão, quinhentos e oitenta e dois mil, seiscentos e trinta e quatro… Nota mental: É muito carro, e mesmo com todo mundo reclamando dos preços abusivos, mas isso é assunto pra depois.

O que eu quero expor aqui é que nosso mercado automotivo, mesmo que aos trancos, está aquecido. Temos em média mais de quatro lançamentos por mês. Temos marcas que nunca nem pensaríamos em ter por aqui – de chinesas desconhecidas à preparadoras como a Brabus.

image

Brabus, deixando as Mecas menos sem graça desde 1977.

Isso resulta em uma coisa muito benéfica para qualquer livre comércio: concorrência. A concorrência é o que faz uma empresa precisar vender mais que a outra. Para isso ela precisa provar que o produto dela é melhor. Pra ter produto melhor e vender mais, ele tem que ser mais barato. Para ser mais barato e ainda assim atrativo, tem que ter diferenciais. Para manter o preço mesmo adicionando diferenciais, precisa-se otimizar a produção, com ganhos de escala.

O catalisador deixou de ser algo de luxo há quase 30 anos. Direção hidráulica já é coisa do passado, e hoje falamos de direção elétrica. O próprio cinto de segurança já foi opcional. Air-bag e ABS hoje são obrigatórios. Injeção eletrônica até a nossa saudosa Kombi adotou.

O Novo Ka já sai com todos esses itens de fábrica e, em algumas versões, tem o tão alardeado controle eletrônico de estabilidade – inédito até então nesta categoria de entrada, e restrito a categorias de luxo, de imagem, e em esportivos. O assistente de partida em rampa – aquela ajudinha eletrônica de 2 ou 3 segundos pro seu carro não voltar num aclive – também é algo que só se via em carros de categorias superiores, e já faz parte do pacote do New Fiesta e Fiat 500, mesmo em versões com câmbio manual.

Respondendo a pergunta inicial deste post “Quem ganha com tudo isso?” é você. Você não está pagando a mais por isso (estamos pagando caro, mas não pelos itens adicionados). O Novo Ka, que estará a venda oficialmente em setembro deste ano, possui coisas que não estavam disponíveis nem em carros de luxo de meados da década de 90 – pode procurar uma lista de equipamentos disponíveis num Vectra ou no Marea daquela época. A lista era ainda muito menos extensa no próprio Ka quando foi lançado no Brasil. O Ka naquela época variava de 12 mil a 25 mil reais, o que em dinheiro de hoje representa de 27 mil a 52 mil reais. Valores muito próximos do Novo Ka, só que com todos os equipamentos citados acima mesmo na versão de entrada, e que não estavam todos disponíveis nem na versão top do passado.

O consumidor só tem a ganhar com essa concorrência. E muito em breve, com o dinamismo e evolução do mercado de hoje, veremos outros equipamentos de luxo sendo popularizados – os câmbios automáticos até em carros 1.0 estão aí pra não deixar mentir… E aí, alguma aposta de quais equipamentos veremos nos nossos populares dentro dos próximos dez anos?

© 2017 Patetas Blog

Theme by Anders NorenUp ↑