Quem tem mais de 30 anos e curtiu muita Sessão da Tarde com certeza conhece essa cena do clássico Curtindo a Vida Adoidado.

Seja sincero, todo gearhead que se prese MORRE de ciúmes de seu carro, não é? Você pode ter um Lada Samara, mas tenho certeza que sempre que deixa o carro com um manobrista imagina que ele vai repetir a cena acima, não?

 

Bom, então vamos supor que você tenha um carro um pouquinho mais potente que um cortador de gramas, por exemplo, o novíssimo Dodge Challenger SRT Hellcat 2015. São nada mais, nada menos que 717 cavalos puro-sangue em um motor Hemi V8 6.2. ATENÇÃO: Se você é fã de Muscle Cars, tome o seu remédio para o coração, pois a foto abaixo não é recomendada para motoristas de Ford Ka.

Dodge Challenger SRT Hellcat 2015

Pela mãe do guarda da esquina, agora o meu coração parou…

Segundo a Dodge, a criança acima é o mais potente Muscle Car jamais construído desse lado da Via Láctea. Ele é tão brutal que a Dodge criou um recurso para o caso de você não conseguir se controlar e quiser fazer burnouts em todos os semáforos. Ele tem duas chaves, a vermelha, que libera todo o potencial do brinquedo ou a preta, que deixa 200 cavalos descansando e entrega “somente” 507 cv, como um medíocre Dodge Challenger sem o selo de qualidade Hellcat.

Chaves do Dodge Challenger SRT Hellcat

Estou sem pressa hoje, 500 cavalos me bastam…

Nesse momento você deve está pensando: “Então você está me dizendo que eu vou entregar esse carro para o manobrista com a chave preta e só por causa disso ele não vai querer reproduzir as cenas acima?”. Não bobinho, esse gato dos infernos tem mais surpresas que bolsa de velha em dia de quermesse: dentro de uma das milhões de funções do sistema de entretenimento, você pode colocar uma senha que realmente deixa o carro bem mansinho. Com essa trava o carro impede que a 1a marcha seja usada, limita os giros do motor à 4.000 RPM, impede a mudança de marchas pelas borboletas do volante, trava todos os sistemas de auxílio eletrônico como controle de tração, ajustes de amortecedores, firmeza da direção, etc., para o modo “street” que é o equivalente à “tão-sem-graça-quanto-sair-de-carro-com-seu-vô”.

E aí, com isso posto, você confiaria o seu carro a um valet?

Um apaixonado por automobilismo, muscle cars, videogames e fotografia, não necessariamente nessa ordem, de vez em quando passarei por aqui com novidades sobre esses assuntos. Ou não.